[Resenha] Metrô 2033

Sinopse:

“Países inteiros destruídos, florestas devastadas, escassez de alimentos e água. O ser humano já não tem mais o comando sobre a terra. Novas formas de vida dominam. Um desastre nuclear varreu a superfície terrestre e obrigou os poucos sobreviventes a uma existência sem sentido e sem esperança nos tuneis do metrô de Moscou.
  É nesse cenário pós-apocalítico que Dmitry Glukhovsky traz o tema que enche o ser humano de curiosidade e incerteza: a possibilidade do fim do mundo. Metrô 2033, que inspirou a criação de um dos games mais eletrizantes da atualidade, cria uma atmosfera caótica ao tentar mostrar como se comportaria um ser humano em um ambiente onde o que predomina é o instinto de sobrevivência”.

Categorias: Ficção, Apocalítico, Literatura Estrangeira, Terror, Mistério, Suspense






Título





Metro 2033
★★★★★
Autor

Dmitry Glukhovsky
Editora
Editora Planeta, 2010
Num. págs.
415 páginas
                 
                                                   
  













História: 


 Esse livro, apesar de ser excelente, acabou passando despercebido aqui no Brasil, sendo de maior sucesso nos Estados Unidos e Europa, sendo adaptado posteriormente para os vídeo games e já inicializada a produção de um filme sobre o livro, trazendo uma história muito bem contada, muito bem elaborada, e que rendeu o premio da Encouragement Award da EuropeanScience Fiction Society ao escritor sendo este o primeiro livro publicado dele, com passagens simples, que dão destaque a inúmeros temas desde politica até a religião, mostrando tanto o melhor quanto o pior e mais sombrio lado humano, mesmo sendo um livro bem longo, com 415 páginas, e trazendo uma história de um mundo devastado, no ano de 2013 pela guerra nuclear, e os poucos sobreviventes da cidade de Moscou, se viram obrigados a se abrigar nas redes de metrô da cidade, abandonando a sua esperança de um dia voltar a superfície, pois, o que um dia foi a casa da humanidade, se tornou o seu maior inimigo, sendo a superfície do planeta, coberta pela radiação, sendo esta mesma radiação, o que levou ao surgimento de novos habitantes, mutações tão brutais que fariam os mais fortes tremerem, e toda a história ambientada no ano de 2033
  Sendo o protagonista o jovem Artyom, morador de uma estação independente, VDNKh, que fica em uma das bordas da linha habitada do metrô, que mora com o seu Tio Sasha, que foi o soldado que salvou a sua vida quando criança, e acabou por chama-lo de Tio Sasha mesmo sem nenhum parentesco de sangue, sua estação por estar em uma das extremidades do metrô, e começara a sofre ataques de mutantes vindos da superfície, de mutantes chamados de Demônios, que começara a ameaçar não apenas a sua estação mas também toda a vida humana que ousa sobreviver nas linhas do metrô de Moscou, e com a chegada de Hunter, amigo de Sasha, que lhe dá uma missão, caso não retornasse de sua tentativa de salvar a estação dos danos do ataque das criaturas, até a manha do próximo dia, que Artyom deveria ir até Polis, uma das mais poderosas estações da linha e contar sobre os acontecimentos para que tivessem ajuda para poder assim destruir o mais novo inimigo da humanidade.
 Desta forma se dá início a aventura de Artyom pela rede de metrô, para salvar a humanidade, ou pelo menos o que resta dela. Com o livro colocando de uma forma incrível, como o ser humano agiria caso estivesse à beira da extinção, uma rede de Metro dividida, formando novas facções, ressurgimento de velhas ideologias políticas, tal qual, a linha vermelha que adotou o comunismo como forma de governo, o surgimento do quarto reich, estações que adotaram o nazismo e pregavam a superioridade da raça russa, formação de alianças, federações, entre as estações, guerras entre as alianças e entre as estações, criticas sociais, e até mesmo fanatismo religioso, mercenários, bandidos e tudo o que havia se criado na superfície se manteve forte no subsolo. Onde o ser humano continua a fazer o que na história sempre fez muito bem melhor que qualquer animal, matar, criar novas formas de matar.
  Porém o livro não fala apenas do que seria o pior da humanidade, mostra o tempo todo o melhor dela também, inúmeras ocasiões de necessidade, Artyom consegue ajuda e auxilio em momentos em que estava perdido ou até mesmo a beira da morte, a humanidade, aprendeu a sobreviver com pouco, comendo desde cogumelos que começaram a cultivar, a ratos e tudo o que fosse necessário para sobreviver, tudo em volta de uma grande tensão, sendo os momentos de travessia de uma estação para outra marcado pelo pavor, o medo de ataques, e pela total escuridão, sendo que a maioria das estações viviam a base de pouca iluminação, em algumas apenas iluminadas por velas, outras mais ricas com condições mantendo um sistema de geradores primitivos e lâmpadas antigas a mantinham iluminadas, a moeda do novo mundo, passou a ser munições das armas, sendo que tudo tinha seu preço, e muito alto.
 A superfície de Moscou e de longe totalmente inabitada, com novos moradores que agora governam a superfície, mutações horripilantes, e muito violentas, além de o ar ter se tornado venenoso na superfície, e o sol, sendo o maior inimigo além de tudo para as tentativas de subir a velha cidade para se conseguir materiais, madeiras para manter as estações iluminadas, e busca de inúmeras coisas para tentar fazer o melhor possível para a vida no subterrâneo, sendo seus raios, muito fortes para a pele humana desacostumada com a luz, o que outrora foi a moradia humana, se tornou seu maior inimigo.   
  Em si o livro mesmo sendo relativamente grande é sensacional, e indispensável para quem goste do tema, e indispensável para quem fique curioso a ver como se portaria a humanidade na beira da extinção, além de mostrar visões políticas diferentes se portando da mesma forma que faziam na superfície, mostrando também questões religiosas, muito bem colocadas neste livro, e de forma mais incrível como o ser humano mostra tanto o seu pior, quando o seu melhor nesta história. Em geral uma das melhores leituras de minha vida, por mostrar de forma tão clara, e sem duvidas, bem pesada, como seria a luta da humanidade pela sobrevivência e mesmo, entre si mesma.

4 comentários:

  1. Muito boa a resenha, me fez ter interesse em ler esse livro...gostei do conteúdo e do que vou encontrar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite
      Muito obrigado pela opinião :)
      Recomendo muito este livro ! Pelo seu vasto conteúdo !

      Excluir
  2. Adorei a resenha, rápida e com conteúdo! Explicação ótima, vo ler esse livro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite
      Obrigado pela opinião :)
      Recomendo a leitura !

      Excluir

Promoções

Tecnologia do Blogger.