[RESENHA] A Escrava Isaura

(Capa da minha edição que usei)

Titulo: A escrava Isaura

Autor: Bernardo Guimarães

★★★★★

Gênero: Romance

Editora: Melhoramentos

Paginas: 164




História: 

 Este livro, “A Escrava Isaura”, além de ser um grande marco para o abolicionismo no Brasil, sem dúvidas me chama a atenção desde o momento que o comprei (em um sebo, sim, amo livros de sebo), (ainda mais agora que planejo ler os principais da nossa literatura haha), e o que acaba chamando a atenção por fora para o escritor do livro, Bernardo José Da Silva Guimarães, nascido em Ouro Preto-MG em 15 de agosto de 1825, considerado um homem de simplicidade extrema, simples e bom, com uma aparência rustica, e abertamente gostava de ser tomado por caipira, sendo seus romances considerados da corrente Sertaneja ou Sertanejista, assim conhecido na literatura nacional, tem um lugar marcante na história da literatura nacional, e em uma comparação para iguais, pode ser comparado ao livro estadunidense  “A Cabana do Pai Tomás” escrito por Beecher Stowe, um livro abolicionista que fez o presidente dos EUA Lincoln chorar (e o qual planejo trazer a resenha para o blog em um futuro não tão distante hehe) sendo este livro lançado originalmente no ano de 1875 e um dos livros de maior importância do escritor.
 O livro se baseia na história de Isaura, uma escrava branca, filha de um português, e sua mãe uma escrava negra, que morreu de forma brutal, porém recebeu uma boa educação por criação, sendo ela criada pela família que dela era dono, pela matriarca, que com seu último desejo, desejava firmemente a carta de alforria para Isaura, que como dito, recebeu uma educação de excelência além do enorme afeto que com ela tinha por ser sua maior companhia, por ter sido ela a dar a educação a Isaura, porém com sua morte seu desejo não foi atendido, sendo o pai da Isaura um dos principais personagens, que luta desesperadamente por uma forma de libertar a sua filha da escravidão, seu pai, homem simples e humilde de nome Miguel um homem livre, que conseguiu juntar a quantia necessária para comprar Isaura e libertá-la, mas tudo tem seu porém, que trabalhou outrora na fazenda de Leôncio, homem frio e sem coração, que não mede esforços para que consiga ter Isaura a seus braços, e é o dono de Isaura, um senhor devasso e que de forma alguma deseja libertar Isaura, com um desejo sombrio de conquistá-la e que possa assim, tomar ela por prazer na devassidão,  casado com Malvina, que por sua vez também deseja a liberdade de Isaura. Sendo Isaura, dona de uma alma nobre e orgulhosa, recusa todas as tentativas de sedução de seu dono, mesmo tendo em mente do perigo destas recusas, sendo uma defensora de sua própria honra.
 O livro apresenta de uma forma incrível, e muito bem detalhada, o estilo de vida da época, e retrata as consequências de um modelo político que adotava a escravidão e sua brutalidade, porém, além de tudo, mostra como ela pode ser destrutiva para uma sociedade, e para seu povo, que como dito em certas fontes, teve como principal público as mulheres do período.
 A medida que vão rolando os acontecimentos do livro, entra em cena, um romance muito interessante, no momento em que Álvaro, se apaixona por Isaura, e como dito no livro, um homem duas vezes rico, o qual não polpa esforços para ver sua amada alforriada e livre, até certo ponto, como todos da nossa literatura clássica, o livro contém um palavreado de certa forma complicado, usando inúmeras palavras que são de pouco uso na sociedade atual nossa, mas que retrata de forma majestosa o momento e a época.
 É um livro de leitura rápida contendo 164, apresenta capítulos curtos, que não ultrapassam a margem das 8 páginas, sendo cada página rápidas e fáceis de se ler, além de muito prazeroso, a leitura é muito boa, sendo possível devorar esse livro de forma muito rápida.
 É um marco para nossa literatura, chamou atenção do próprio imperador D. Pedro II (sendo o próprio, que já lutava pelo fim da escravidão a muito no Brasil junto a Princesa Isabel e membros da família imperial), esse livro é de leitura indispensável para quem deseja se aprofundar mais na nossa literatura, indispensável para quem gosta de nossa literatura (até certo ponto indispensável para qualquer brasileiro haha) e um dos poucos livros que merece uma nota máxima sem dúvidas, merece um 10/10, e sem dúvidas importante para a divulgação e expansão da causa abolicionista da época, que já contava com inúmeros adeptos de grande valor, é um livro tão simples como o seu escritor, porém merecedor do titulo que tem, um grande clássico nacional, de valor indescritível e indispensável.


[TAG] Aladdin

Eai pessoal, como estão?


Aproveitando que as férias estão quase chegando ao fim e que eu tenho dado uma sumidinha, decidi trazer uma TAG super legal que encontrei no blog Fabrica de Convites. A TAG é bem simples, basta relacionar livros com os personagens. Vamos lá?

Tags.png


Aladdin: um livro pelo qual você não deu nada e te surpreendeu.
A Grande criação de Nicolas

Resenha em breve!

Onde comprar: Amazon, Saraiva, Submarino

Gênio: um livro que faz estripulias no enredo.
Lavínia e a Árvore dos Tempos
19883643_1548659245206739_282519394_n.jpg
Confira a resenha aqui
Onde comprar: Sanfer livros, Com o autor

Jafar:  um livro que te hipnotiza do começo ao fim.
A morte e os seis mosqueteiros
Confira a resenha aqui
Onde comprar: Amazon, Saraiva, Submarino


Escaravelho: um livro que você quis ter por muito tempo e finalmente conseguiu.
Morada da noite
Ainda não adquiri todos os livros mas os meus preferidos da saga já estão na estante

Onde comprar: Amazon, Saraiva

Jasmine: um livro que você acha que não é para o seu bico.
A garota do calendário
O problema, na realidade é o gênero
Onde comprar: Amazon


Sultão: um livro bobo que acha que vale alguma coisa e na verdade não vale nada.
A fada
Tinha tudo para dar certo, mas….
Confira a resenha aqui
Onde comprar: Amazon, Saraiva


Abu: um livro que não sai do seu lado
A menina que tinha dons
Não me canso de falar deste livro <3
Confira a resenha aqui
Onde comprar: Amazon, Saraiva, Submarino


Bem, é isso pessoal, espero que tenham gostado da TAG, vou voltar a trazer várias resenhas para vocês, eu e o Ronye estamos com dois projetos novos super legais que serão lançados no próximo mês então fiquem ligados!
Lembrando que o seu comentário é muito importante, então compartilhe conosco o que têm achado das resenhas e TAG’s, você pode nos mandar um e-mail (blogfonteliteraria@gmail.com) e dizer tudo que tem achado sobre o blog, tirar dúvidas, dar dicas e ideias e compartilhar momentos também.
Já vou adiantando vocês que lançaremos um quadro no blog chamado “Dia do Leitor” onde um leitor será entrevistado e poderá contribuir com o blog da forma que quiser, seja com uma resenha, dica, desabafo ou história de vida. A ideia do quadro é fazer o blog de todos <3.
Tenho resenha nova para sair logo logo então não percam! Beijão



[Resenha]-Resident Evil Marhawa Desire

Sinopse:

“No renomado Colégio Marhawa surge, misteriosamente, uma aluna transformada em zumbi. O bacteriologista Doug Wright e Ricky, seu sobrinho e assistente, são envolvidos nesta tragédia que pouco a pouco, aumenta de proporção
 Enquanto isso, Chris Redfield e sua equipe do B.S.A.A. seguem a trilha deixada pelo professor Doug. Essas duas tramas se entrelaçarão em um pesadelo inevitável...”
(Sinopse do primeiro volume) 

Categorias: Mangá, Terror, Zumbi, Suspense, Mistério, Ficção, Panini Comics, Capcom
Foto pessoal.


  • Título:          Resident Evil Marhawa Desire
  • ★★★★
  • Editora:        Panini Comics
  • Argumento:  Capcom
  • Quadrinhos:  Naoki Serizawa
  • Ano:             2012
  • Volumes:      5
  • Capitulos:     39 + Epilogo











História: 


 Hoje, estou fazendo esta resenha, pouco diferente do habitual, sobre um mangá “Resident Evil Marhawa Desire”, que foi lançado oficialmente em 2012, pela Panini Comics, sendo esse mangá, dividido em 5 volumes, e é um prologo para os acontecimentos de Resident Evil 6, isso mesmo, mas não falo sobre o filme, mas sim sobre o jogo, (para quem não conhece muito bem, a história de ambos é muito, mas muito diferente mesmo, na verdade, dá para se dizer que apenas o nome é fiel haha), e uma serie que sou muito fã, sendo esses mangás, não recomendado para menores de 14 anos,  contém uma arte incrível, muito bem desenhada e rica em detalhes.
 Sendo que a história começa, com o especialista, e professor de bacteriologia da Universidade de Singapura, o professor Doug Wright, recebendo uma carta da Madre Gracia, uma antiga conhecida e responsável pelo colégio Marhawa, que é a instituição de ensino mais prestigiada em toda a Asia, que é localizada em uma região totalmente isolada do resto do mundo, onde pede ajuda a Doug, para que ele com toda a sua experiência, possa ajudar a solucionar um incidente, com aparecimento de uma estudante do colégio contaminada, sendo que imediatamente ele e seu sobrinho, que por sua vez também é um de seus estudantes, partem para o colégio Marhawa para tentarem resolver o mistério por trás do incidente biológico, onde passa a suspeitar de um ataque, da possibilidade de ser o mesmo vírus responsável pela destruição da cidade de Raccoon  City anos atrás, o T-Vírus criado pela já extinta empresa farmacêutica Umbrella.
 A partir de tau acontecimento o enredo toma uma forma bem curiosa, sendo o mangá, de um capricho incomparável, onde eles conseguir criar um clima de suspensa e de terror com uma grande facilidade, e o melhor, nos fazem com uma maior facilidade, entrarmos neste universo de terror proposto por Resident Evil desde sua origem (meio perdido ultimamente hehe), sendo que com a medida que a situação começa a tomar proporções maiores e completamente inesperada, começamos a compreender o desenrolar da história, que que nos apresenta uma certa revira volta muito surpreendente, ao mesmo tempo que ergue a questão, como assim, afinal, o que está acontecendo neste colégio ? Afinal, qual a razão de se atacar este colégio? Questões que por sua vez, acabam tomando uma forma melhor, e mais fácil de se compreender com o termino do jogo da série também.
 Em relação a leitura, é surpreendentemente rápida, sendo que dependendo a forma que for ler, consegue assim ler um volume em torno de 30 a 40 minutos (a não ser que seja igual a meu modo de ler, que demoro muito, e fico viajando em cada página de olho em cada detalhe e desenhos hahaha) e em nenhum momento se torna pesado ou chato para a leitura, e começar a ler e parar apenas no final de cada capitulo. Sendo que no mangá, se conta com a passagem do já conhecido, Chris Redfield como um agente da B.S.A.A e a primeira aparição de Piers Nivans.
 Para minha surpresa, o mangá se torna indispensável para compreender os acontecimentos de Resident Evil 6, porém, se não tiver interesse no jogo, esse mangá é indispensável se estiverem interessados em conhecer um pouco mais do mundo de Resident Evil e muito mais indispensável se é um fã assim como eu desta incrível serie, onde nestes 5 volumes, é garantida uma boa dose de diversão, suspense, um pouco de pavor, uma arte incrível, e uma história incrível, se é fã de mangá, mais que recomendo este, se é fã de Resident Evil, este mangá consegue simplesmente ser, obrigatório.




[RESENHA] Lavínia e a Árvore dos Tempos

Hey hey pessoal!


A resenha de hoje é uma jovenzinha que eu tenho falado muito nas redes sociais do blog, sabe de quem estou falando? Isso mesmo, da Lavínia. Curioso para saber um pouco mais sobre ela?


19727004_1548659535206710_1675850308_o.pngLavínia e a árvore dos tempo
★★★★★
Autor: Ana Mariano de Carvalho
Gênero: Fantasia / Infanto-juvenil
Independente
Páginas: 236
Ano de publicação: 2014
ISBN-13: 9788592100001
ISBN-10: 8592100003
Encontre:  Skoob  | Sanfer Livros  | Com o autor
~ Cortesia do escritor~


Sinopse


Lavínia é uma menina de 9, quase 10 anos, um pouquinho diferente das outras de sua idade. Sem amigos na escola, sem um contato maior com seus pais, leva uma vida muito solitária para alguém tão pequeno. Seu único amigo, Leo, é quem divide com ela os anseios e questionamentos de sua infância, suas arquitetadas fugas dos Valentões e Marrentinhas que a perseguem na escola. Tudo muda quando recebe de presente uma fada, chamado Lorivaldo e que odeia seres humanos. Juntos, vão descobrir a magia escondida no mundo e os segredos da Árvore dos Tempos.


“Não importa o tamanho dos nossos problemas, sempre há uma solução.”


Quem acompanha o blog e as postagens na nossa página no Facebook sabe que eu gosto muito da Lavínia e estou sempre falando sobre ela, principalmente no mês passado dando congratulações aos 3 anos desde o seu lançamento. Infelizmente, por diversos motivos não consegui encerrar o mês com a chave de outro que queria e postar a resenha para vocês, mas com tudo normalizado trago para vocês a resenha de uma das obras mais amorzinhos que já li.


O livro começa contando a história de uma fada que fez muito mal contra os humanos e que irá receber sua punição. Durante a leitura dos crimes que serão julgados naquele momento, e não são poucos, a fada age da forma mais ignorante possível. Ele (sim, é uma fada homem) não liga para o julgamento porque ele realmente não liga para os humanos. “Que se explodam” deve ser a frase que melhor define seu sentimento pela nossa raça.


Agindo com petulância, Lorivaldo (a fada), acaba recebendo um ultimato, cuidar de uma menina humana por um ano inteiro ou ir para o tártaro (essa seria a punição mais terrível para os condenados de seu mundo). Sem muita opção e acreditando que 1 ano seria “simples”, apesar do seu ódio mortal, Lorivaldo acaba aceitando a alternativa “menos pior”, Lorivaldo é, então, apresentado à sua humana protegida, Lavínia.


O livro segue narrando como foi o encontro entre Lorivaldo e Lavínia e com foi a descoberta da jovem ao saber que pode fazer os pedidos que quiser bastando apenas acrescentar as palavras “Eu desejo”. Seu melhor amigo, Leo, entre na história e começa a se divertir junto com a Lavínia e o poder que eles tinha de desejar.

Chega um momento em que Lorivaldo começa a se afeiçoar pela sua humana (ALERTA: UM SEMI-SPOILER) e não a vê mais como um bicho ruim que deve ser destruído e sim como uma menina inocente que é, ele passa a enxergar as coisas com outros olhos e entender que em meio a tanto caos é possível haver um luz. No caso dele, Lavínia.


19883643_1548659245206739_282519394_n.jpg

Quando iniciamos a leitura imaginamos que a história se passará na escola, lugar onde a jovem menina tem, aparentemente, seus maiores problemas, mas ao decorrer da trama é possível perceber que os ambientes vão mudando de uma forma bem sutil, de forma que os leitores não ficam confusos ou perdidos no tempo e espaço.

Seguindo com a história encontramos sinais bem fortes de como a inocência e o amor de uma criança podem transformar as coisas. Apesar de Lavínia não ser a popular da turma e ter sérios problemas em lidar com as pessoas, sem falar na sua rotatividade de percurso entre ir e vir da escola para não ter experiências desagradáveis, Lavínia nunca desejou o mal ou chegou a realizá-lo para com aquelas crianças que faziam sua vida escolar mais complicada do que deveria ser.

Lavínia também ensinou a Lorivaldo, de formas bem sutis, que não há motivos para odiar a raça humana e com pequenos gestos ela ensinou ao amigo rabugento que existem coisas boas na vida e que todas as ações geram consequência e que, dependendo de qual for, nem sempre nos agradam.

O livro também fala um pouco sobre o folclore brasileiro, fazendo referências ao Curupira e Boitatá, sem contar que faz referências a diversas criaturas máginas que já conhecemos bem no universo da fantasia como os Goblins, Gnomos e Gigantes de pedra (Golem).

Mas a grande pergunta do livro é: “Por que é Lavínia e a ARVORE DOS TEMPOS?” Pois é, isso eu não posso contar muito sobre, seria um baita spoiler, e iria acabar com a graça de toda a história. Mas posso deixar aqui para vocês 3 motivos para ler a série Lavínia e te deixar bem curioso para conhecer mais.


  1. Fala sobre amizade
Lavínia nos ensina que independete do problema e do qual difícil as coisas possam ser, se tivermos amigos que estão ao nosso lado, tudo se torna pequeno ao ponto de não nos importarmos mais com os problemas.

  1. Quebra os esteriótipos das fadas
Quem disse que as fadas devem ser coisas fofinhas, cheias de purpurina e que só fazem coisas boas?
Lorivaldo é a prova de que fadas que pensam o contrário disso podem existir, uma fada HOMEM (ou um Fado???) que não gosta da humanidade e comete atrocidades com ela, se fadas são (ou poderiam ser) reflexos daquilo que o homem é, por qual motivo elas devem ser sempre perfeitinhas?

PS.: Este item é muito importante pois é abordado na história.

  1. Fala sobre temas que nunca discutimos com as crianças
Numa sociedade extremamente violenta e cruel como a nossa é muito comum encontrarmos cada vez mais e mais crianças que sofrem com problemas psicológicos causados por traumas na escola. O bullying é a forma mais comum que encontramos no dia a dia das crianças, e muitas vezes deixamos passar, nossa rotina de trabalho e estudo nos impedem de conversar e tentar entender o dia a dia das crianças das quais cuidamos.

Com isso, faço um convite a você, caro leitor, conheça um pouco mais lendo a história de Lavínia e procure entender pelos olhos de uma crianças as coisas que acontecem com ela e muitas vezes deixamos passar.


[DIVULGAÇÃO] Livro TREVAS!


Hey pessoal, como estão?

Hoje eu trouxe para vocês um pouquinho mais do livro Trevas do autor J. Modesto e para falar dessa obra, ninguém melhor que o próprio autor, né?




Você pode adquirir o livro aqui

[DIVULGAÇÃO] Obras J. Modesto

Oi oi pessoal, como estão?

Hoje eu trouxe, mais uma vez, um pouquinho sobre as obras do autor J. Modesto, bora conferir?

Trevas.jpgTrevas: O Sol ardente contribuía para irradiar a luz própria das igrejas da Cidade do Vaticano. Cenário ideal para uma misteriosa conversa entre o Cardeal Giglio e Sua Santidade, o Papa. Diante de um secreto dossiê, o Papa dá carta branca ao cardeal, para combater o Mal com o Mal. Perante tal contexto, não se iluda o leitor que está diante de uma mera ficção religiosa. O autor, J. Modesto reuniu neste livro suas diversas cenas de terror e suspense, e que, de forma inteligente contextualizou-as no submundo do tráfico de entorpecentes de São Paulo e Rio de Janeiro. Lugar no qual o bem e o mal, o certo e o errado, confrontam-se diariamente, mas do que se possa imaginar. Com esta mistura engenhosa de realidade e ficção, o leitor se depara frequentemente com a dúvida do que é ou não real.
Anhanga.jpg 
ANHANGÁ - A FÚRIA DO DEMÔNIO: Nos primeiros dias após a fundação da vila de São Paulo de Piratininga, o Padre Jesuíta José de Anchieta tenta acalmar um indiozinho aflito que se escondera no pequeno barracão do colégio. O medo do maléfico demônio Anhangá é o motivo do pavor do menino de pele avermelhada. Com todo o carisma que possuí, o jesuíta acolhe o pequenino enquanto a natureza, lá fora, demonstra toda a sua fúria através de uma tempestade que castiga impiedosamente a vila, sem saberem que o Mal está bem próximo.





VAMPIRO.jpg VAMPIRO DE SCHOPENHAUER: Até as suas convicções irão mudar! Arthur Schopenhauer foi um dos maiores filósofos alemães do século XIX. Seu pensamento era caracterizado por não encaixar-se em nenhum dos grandes sistemas de sua época. Ele introduziu o Budismo e o pensamento indiano na metafísica alemã. Ficou conhecido por seu pessimismo e sua visão sobre a Morte, a Imortalidade e o Divino, mexendo com os alicerces da Filosofia da época. Agora, imagine esse homem ranzinza e pouco sociável, no auge de sua fama e pouco tempo antes de sua morte, encontrando-se com um ser Imortal, com séculos de existência, avesso ao divino, cuja própria existência coloca em xeque os fundamentos de tudo que ele acredita.
Conheça mais do autor aqui!
MODESTO 1.jpg 
 Site do Autor
Página no Facebook



[DIVULGAÇÃO] Joelma

Oi pessoal, tudo bem?

Como eu disse ontem, essa semana estaremos participando da divulgação dos livros do autor J. Modesto, então hoje eu vim contar um pouquinho de sua obra, bora conferir?

JOELMA.jpg

Joelma – Antes da Escuridão: Em 1974, uma das mais modernas e imponentes construções da cidade de São Paulo ardeu em chamas, num dos mais traumáticos incêndios de que se tem notícia. As chamas teriam supostamente começado, de forma misteriosa, em um aparelho de ar condicionado. Se espalharam rapidamente, vitimando centenas de pessoas, e provocando mais de 190 mortes. A fama de edifício amaldiçoado perdurou desde então, mas o que poucos sabem é que sua aura, que impregnou suas paredes de concreto, teve inicio muito tempo antes.

Conheça, agora, os fatos que deram origem ao chamado Enigma do Edifício Joelma. A maior Lenda Urbana da capital paulista.



Tragédia do edifício Joelma é revisitada em ficção
“Joelma: Antes da Escuridão” mistura ficção e realidade para criar clima de suspense neste thriller que narra a batalha entre o bem e o mal
Em 1974, o Brasil sofreu uma de suas maiores tragédias com o incêndio do edifício Joelma, supostamente iniciado em um ar condicionado. Mas o terreno do prédio já é amaldiçoado há tempos. É partindo deste pressuposto que J. Modesto mistura ficção e realidade em Joelma: Antes da Escuridão, thriller de tirar o fôlego publicado pela editora Livrus.
Neste livro o autor explora a origem da lenda que envolve de um edifício que foi construído sobre um terreno que foi cenário um triplo homicídio, que ficou conhecido na época como “Crime do Poço”.
Cerca de trinta anos antes do incêndio no edifício Joelma, seres malignos provenientes do inferno querem dominar a Terra. Para isso, precisam que Paulo construa um poço, ao passo em que devem combater dois padres, uma freira, um delegado e Gilberto, poderoso médium, que farão de tudo para livrar a Terra deste mal.
As histórias de todos são cruzadas, desde o delegado Afonso, que deve encarar um criminoso que parece não ter medo da Lei e, ao mesmo tempo, proteger sua família, até Paulo, professor meio perturbado e que não suporta suas irmãs e mãe. J. Modesto consegue unir todas estas teias de história em uma só, criando uma onda de grande suspense e terror.
O livro conta com uma belíssima capa que ilustra a ficção criada por Modesto. Dentro da obra há ainda uma ilustração do demônio que se manifesta na história e fotos reais na contracapa que se ligam à trama.
Em Joelma – Antes da Escuridão, J. Modesto leva o leitor ao ápice da imaginação. O autor vai na contramão dos livros tradicionais, que relatam acontecimentos, e explora os elementos da ficção e do terror, utilizando locais e dados reais, sem pretensão de apresentar fatos que inocentem ou culpem os envolvidos nos episódios verídicos que aconteceram no final da década de 1940.

Dia Nacional do livro infantil.png


Sinopse: Em 1974, uma das mais modernas e imponentes construções da cidade de São Paulo ardeu em chamas, num dos mais traumáticos incêndios de que se tem notícia. As chamas teriam supostamente começado, de forma misteriosa, em um aparelho de ar condicionado. Espalharam-se rapidamente, vitimando centenas de pessoas, e provocando mais de 190 mortes. A fama de edifício amaldiçoado perdurou desde então, mas o que poucos sabem é que sua aura, que impregnou suas paredes de concreto, teve início muito tempo antes. Conheça, agora, os fatos que deram origem ao chamado Enigma do Edifício Joelma. A maior Lenda Urbana da capital paulista.


Site do Autor
Página no Facebook


Informações técnicas da obra

Obra: Joelma: Antes da Escuridão | Autor: J. Modesto
Editora: Livrus | Ano: 2014 | Páginas: 272 | ISBN: 978-85-8360-017-6
Encadernação: Brochura | Altura: 23,00 cm | Largura: 16,00 cm
Preço médio: R$ 39,90
Tecnologia do Blogger.