[RESENHA] Natalina

Hey hey pessoal!

Como anunciado pelo nosso instagram, neste mês de Dezembro nós faremos o “Dezembro digital” onde as
resenhas serão de livros em formato e-book para ajudar vocês na escolha da leitura das férias. Bora lá?

O autor da semana é o Gabriel Sidney, então traremos as resenhas de suas obras, preparados?

A Rosa Imperfeita

★★★★
Autor: Gabriel Sidney
Gênero: Drama/ Novela
Páginas: 116
Ano de publicação: 2015
Por 3,99 na Amazon



Sinopse

Lina achava que nunca fosse mais encontrar sua mãe, principalmente depois da dor que ela lhe causou no passado.
Mas será que é possível o espírito natalino unir dois corações perdidos em uma simples noite de Natal?

O que eu achei…

Para tudo há uma primeira vez, né? Bem, essa foi a minha primeira vez lendo uma novela, para quem não sabe,
novela é: “uma narrativa breve, maior do que um conto e menor do que um romance, e que se caracteriza por apresentar
uma espécie de concentração temática em torno de um número restrito de personagens.” - Dicionário online.

Devo confessar que não decepcionei nem um pouco com a narrativa da mesma. A obra narra a história de Natalina, ou
Lina, como gosta que a chamem, que recebeu um convite inesperado de sua avó para passar o natal com ela. Lina
ficou indecisa sobre ir ou não pois havia combinado com o namorado de ir passar o natal com a família dele. Mas Erick
sabia aquilo que a amada gostaria e acabou decidindo que ambos iriam visitar a avó dela.

Não é preciso muito para dizer que a viagem foi bem interessante, né? A avó não comemorava mais o natal após a
morte do marido, Lina não falava mais com a mãe havia anos, pesadelos atormentavam suas noites de sono e a
personalidade de Lina, apesar de tudo, ainda é um pouco infantil.

E é claro, num cenário de briga familiar, sempre tem que ter uma reviravolta onde os que estavam brigados se
encontram, né? Ironicamente no meio da briga a mãe de Lina desmaia, o que dá margem para ela esfriar as ideias
e conversar com sua avó.

O quebra-cabeça estava se encaixando, mas Lina é um personagem muito amargurado e eu senti que isso atrapalhou
um pouco o fluir da leitura.

Lina finalmente tem a oportunidade de ajeitar a situação com sua mãe, será que ela mudará e perdoará todos os
acontecimentos do passado?

[RESENHA] As últimas palavras

Hey hey pessoal!


Como anunciado pelo nosso intagram, neste mês de Dezembo nós faremos o “Dezembro digital” onde as resenhas serão de livros em formato e-book para ajudar vocês na escolha da leitura das férias. Bora lá?


O autor da semana é o Gabriel Sidney, então traremos as resenhas de suas obras, preparados?




As últimas palavras
★★★★★
Autor: Gabriel Sidney
Gênero: Conto
Páginas: 5
Ano de publicação: 2016
Por 2,99 na Amazon






Sinopse


Ela só queria dizer as últimas palavras para o seu filho...

O que eu achei...

O conto é, sem dúvidas, muito bom para reflexão sobre o quanto temos dado importancia para as nossas mães. A obra retrata uma mãe doente, em seu leito de morte, fazendo um esforço sobrenatural para poder passar um último momento com seu filho. Mesmo sabendo que ele virará orfão, que o momento dela partir está bem próximo, ela não desiste de lutar e enquanto não diz as 3 palavras que estavam presesas em sua garganta ela não desiste da vida, ela precisa dizer aquio ao filho antes de ir.

O que nos leva a refletir sobre o quanto as nossas mães se esforçam por nós, carregam em seu ventre por nove meses, passam horas sem dormir por conta das nossas necessidades e se sacrificam todos os dias para garantir o nosso futuro.

A obra é breve mas é repleta de sentimentos que muitas vezes esquecemos, ou deixamos de lado. “ Aproveite sua mãe enquanto está em vida, não faça nada que vá lhe causar arrependimento e cultive memórias de amor e carinho, pois a vida é passageira e, num fechar de olhos, ela se vai.”

[RESENHA] A Rosa Imperfeita

Hey hey pessoal!


Como anunciado pelo nosso intagram, neste mês de Dezembo nós faremos o “Dezembro digital” onde as resenhas serão de livros em formato e-book para ajudar vocês na escolha da leitura das férias. Bora lá?


O autor da semana é o Gabriel Sidney, então traremos as resenhas de suas obras, preparados?




A Rosa Imperfeita
★★★★★
Autor: Gabriel Sidney
Gênero: Conto
Páginas: 9
Ano de publicação: 2017
Por 1,99 na Amazon
Adicione no Skoob
Blog do autor



Sinopse
Uma história de amor interrompida por uma doença. Um buquê de rosas pode guardar mais sentimentos do que você imagina.

O que eu achei...

O que não fazemos por amor? Em 9 páginas nós conhecemos a vida de um casal de idosos, feliz e que faz da sua rotina uma forma de amar e cuidar. Infelizmente, quando envelhecemos, diversas doenças nos acompanham, e com o casal não foi diferente.

Um buquê de rosas é a demosntração mais pura do amor que ele sente por ela e, quando a doença ataca e o amor dela vai se apagando, a última tentativa dele é dar um buquê à amada.

Infelizmente tarde demais, pois quando ele chega em casa, ela já não se encontra mais lá. Mas é neste ponto que devemos refletir, quanto tempo ele perseverou e acreditou que ela se lembraria e tudo voltaria a ser como era? Quanto nós temos acreditado no amor? Aqui em São Paulo é muito utilizada a frase “Não existe amor em SP”.

Mas será que é verdade? O casal de idosos se amou enquanto saudável, e mesmo na velhice ele jamais deixou de cuidar dela. Ele cuidou daquela bela e imperfeita rosa enquanto pôde, você tem cuidado da sua?

[Resenha] A Ilusão Americana

Titulo: A Ilusão Americana


Autor: Eduardo Prado

★★★★★

Gênero: Literatura Nacional

Editora: Alfa-Ômega

Paginas: 138



Sinopse:

“Com o advento da República no Brasil consolidou-se a posição do Estados Unidos como nação hegemônica nas nossas relações comerciais, posição que anteriormente era ocupada pela Inglaterra. A mudança no sistema de governo era fundamental para que possa, a nação brasileira, integrar-se ao novo contexto da Américas. No Brasil a resistência à república apoiou-se em obras de intelectuais que abertamente posicionaram-se contra a influência dos Estados Unidos, e um desses intelectuais foi Eduardo Prado. Em sua obra A Ilusão Americana, podemos compreender o seu forte desejo de independência Eduardo Prado com seu livro buscou abrir os olhos daqueles que viam os Estados Unidos como um modelo a ser perseguido. Para Eduardo Prado os Estados Unidos comportavam-se como metrópole e viam as nações latino-americanas e consequente formação de um mercado consumidor eram considerações impensáveis. A Editora Alfa Ômega na certeza de contribuir com a bibliografia brasileira, principalmente no que diz respeito a literatura de contestação, reedita o livro A Ilusão Americana de Eduardo Prado. E para situar as idéias de Eduardo Prado num contexto mais atualizado o prefácio de Aldo Rebelo nos mostra como as coisas mudaram pouco nos últimos 100 anos. ”

O Autor:

 O autor, Eduardo Paulo da Silva Prado, nascido em 27 de fevereiro de 1860, sendo filho de uma família paulista tradicional, formado na Faculdade de Direito de São Paulo, era amigo do Barão do Rio Branco, Eça de Queiros entre outras figuras muito conhecidas até hoje, foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, onde ocupou a cadeira 40, e também pertenceu ao Instituto de Histórico e Geográfico Brasileiro, combateu incansavelmente a república em sua formação sendo um monarquista, além de combater muito a grande interferência dos Estados Unidos principalmente no Brasil (já já explicarei um pouco melhor rsrs) escreveu inúmeros livros dentre eles o presente “A Ilusão Americana”, “Fastos da Ditadura Militar no Brasil”  dentre outros.
 Sendo uma curiosidade que no livro A Cidade e as Serras” de Eça de Queiros, Eduardo Prado foi o modelo do personagem Jacinto.
http://www.academia.org.br/academicos/eduardo-prado/biografia

O Livro:


 O livro, “A Ilusão Americana” lançado originalmente em 4 de dezembro de 1893, sendo vendido todos os exemplares prontos já no mesmo dia, e sendo proibida a sua venda já no mesmo dia, e no dia após o lançamento, a tipografia em que foi impresso foi cercada por uma força de cavalaria onde todos os seus exemplares foram apreendidos, lembrando que era o começo da Republica dos Estados Unidos do Brasil, praticamente recém proclamada, e no governo de Floriano Peixoto (chamado de Marechal de Ferro pela violência que achou necessária usar).
Resenha:

 Esse livro, “A ilusão Americana”, afinal, qual o motivo de ter sido proibido no Brasil em sua publicação? Afinal, sobre o que ele fala?

 Questões super simples de se resolver quando se termina esse livro, o livro foi proibido afinal é uma crítica a influência dos EUA no Brasil, afinal, desde o início, fomos um “plagio” desde o nome até a bandeira, ai a maior crítica imposta pelo autor, e como nossos primeiros presidentes se manterão pela violência empregada contra o próprio povo esse livro não poderia ser aceito, por ser uma critica ao principal modelo de republica e "liberdade" do momento.

 Sendo o livro dividido em 5 capítulos, todos relativamente fáceis e rápidos de serem lidos, não é um livro que apresente uma grande complexidade, e usa de inúmeros exemplos e informações seguras, mostrando como funciona a “fraternidade americana” e a famosa Doutrina Monroe de onde vem a famosa frase “A América Para os Americanos” e como ela nunca representou as nações da américa, apenas os EUA, sendo que em inúmeros casos eles deixaram a influência europeia dominar sobre a américa.

 Mostrando inúmeros fatos interessantes, desde o anexo dos territórios Mexicanos, e em inúmeros momentos seu grande apego a escravidão, e inúmeras curiosidades de como funciona a política, ética e moral dos mesmos onde seu interesse econômico e de “colonizador” influenciaram suas ações, desde interferências em guerras em toda a América, e até mesmo invadindo e conquistando territórios de outras nações independentes.

 Além de apontar curiosidades por muitas pessoas desconhecidas, tal qual, o fato de os EUA serem uma das últimas nações na América a reconhecer a republica apenas alguns anos depois, e como em conferencias dos países americanos para ajudar a fazerem tratados eles sempre foram os menos interessados em tudo isso, e como eles nos influenciaram no começo da republica, e também como nos “aprisionaram” sobre suas asas, afinal a Doutrina Monroe de, A América para os Americanos é apenas para “eles”.

 Esse livro ao contrário do que podem, é de excelente leitura, super rápido e como disse antes fácil de se entender, e se você estiver bem definido em sua visão, provavelmente irá tirar um excelente conceito dele, e muito ira compreender sobre a ainda “real atualidade” brasileira.

Onde encontrar ? 

 Uma ótima vantagem deste livro é que além de ser uma excelente leitura, pode ser baixado gratuitamente pelo site da biblioteca do Senado, o que facilita muito, para baixar clique aqui: Livro A Ilusão Americana

 Se tiver interesse para localizar ele no skoob aqui já deixo o link também, https://www.skoob.com.br/livro/43797ED101223-a-ilusao-americana



[ENTREVISTANDO O AUTOR] - Nair Pontes

Hey hey pessoal!


A entrevista de hoje é com a Nair Pontes, ainda não falei do livro dela aqui, né? Mas contei do evento que a Editora Hyria me convidou e eu fui feliz da vida, não se preocupem que a resenha sai logo logo.
Se você não lembra ou não viu o post onde eu explico o que é EMDR e como a Nair trabalha, sugiro que leia antes de continuar na entrevista. (Acesse aqui)




Para a entrevista, fiz a transcriçãocompleta do audio gravado no dia da entrevista. Espero que aproveitem.


[Amanda]
Nair, conta para a gente como surgiu a ideia do livro.
[Nair]
Certo, então vamos falar de EMDR: uma galerinha da hora. Eu atendo crianças e aplico essa técnica de EMDR , e porque que surgiu? Bem, essa é uma maneira de eu poder explicar para as crianças, numa forma bem lúdica, de forma que elas possam entender a bordagem que será utilizada com ela, é uma forma de respeito para com a criança, não é só por que é uma criança que nós vamos simplesmente aplicar métodos e pronto.
Então, pelo menos desta forma, ela vai saber todo o processo e como serão as coisas com ela.
[Amanda]
Então é uma forma mais fácil da criança compreender...
[Nair]
Sim, uma maneira super fácil, você pode reparar que o livro é bem ilustrativo e a história também é contada de uma forma bem simples e empolgante. Eu acredito que assim elas poderão se identificar com os personagens.
Imagem extraída de uma das páginas do livro.
[Amanda]
Como foi a criação do livro? Como foi a trajetória, desde a ideia até o momento de publicar o livro? Como foi a experiência?
[Nair]
A experiência foi simples, muito simples. Existe um livro de EMDR para criança, mas eu percebi que ele ainda era complicado para elas, as crianças possuíam certa dificuldade em compreender, na realidade, eu não sei bem se era dificuldade, mas eu tinha que ler para elas. Eu ia contando e explicando a história de uma outra maneira, foi assim que a historinha começou a surgir, até o momento que a editora ficou interessada pela forma como eu contava e lançou a proposta de publicação.
Na hora eu não levei muito a sério, mas depois deles tanto falarem eu acabei levando a sério e eu estou mega hiper feliz, sabia? Eu estou muito feliz de ver o resultado e de como tudo ficou,e  é bem especial.
[Amanda]
E como a sua família reagiu? Como seus amigos e parentes reagiram a ideia da publicação?
[Nair]
Engraçado que no começo, estavam todos meio “É… é… não sei…”, desacreditando, como se fosse algo tão distante, sabe? Mas quando as coisas começaram a acontecer, eu comecei a falar e ver tudo realmente acontecendo. E então eu comecei a ouvir os cometários, e todos abraçaram a causa. A minha mãe abraçou a causa, a minha filha - que é uma fofa - abraça com força a causa. Então eu estou super contente.
[Amanda]
O que você espera daqui para frente? Espera que algo mude, pretende fazer uma continuação da obra, conta um pouco para a gente.

[Nair]
Sabe que eu estou até criando a possibilidade de ver alguma outra coisa para crianças? Estou pensando nisso, mas é que no momento eu estou fazendo Doutorado também, então não é tão simples.

[Amanda]
Doutorado? Que legal, sobre o que?

[Nair]
É sobre EMDR, com crianças vítimas de abuso sexual, e essas crianças ficam traumatizadas e a técnica ajuda essas crianças a reprocessar essa informação ruim que ficou. e eu costumo dizer que esse trabalho é a minha contribuição com a sociedade. É isso que penso.

[Amanda]

Obrigada.

Bem, é isso pessoal, espero que tenham gostado e compreendido um mais sobre o EMDR e como o livro vai ajudar com as crianças, se você ficou curioso e quer saber mais, você pode acessar o site da autora

[RESENHA] Teoria do Medalhão - Machado de Assis

Titulo: Teoria do Medalhão


Autor: Machado de Assis

★★★★★

Gênero: Literatura

Editora: EDUSC

Paginas: 32



O Autor:
  Machado de Assis, que brasileiro no mínimo nunca ouviu falar este nome ao menos uma vez? Nascido em 1839 e faleceu em 1908, filho de um pintor português e uma lavadeira negra, por sua vez, mulato, lutou, cresceu e conquistou sucesso em sua vida, sendo um dos escritores nacionais de maior reconhecimento, e também internacional, escritor de diversos livros e contos, dentre os mais famosos, “Memorias Póstumas de Brás Cubas”, “Quincas Borba”, “Dom Casmurro”, “Helena”, “A Mão e a Luva” entre inúmeros outros. Foi um observador crítico e irônico de nossa sociedade no século XIX.

Resenha:

Este pequeno conto do Machado de Assis, publicado originalmente na Gazeta de Notícias em 1881 e logo após foi integrado ao livro Papéis Avulsos, é de uma leitura super rápida, porém não tão simples, deveras complexa, não nego que li muito mais que uma vez rsrs, mas não é difícil afinal, se tratando de Machado de Assis, é um conto muito agradável de se ler, e narra um diálogo entre um pai e filho, após o jantar de comemoração do filho que completou 21 anos, e a entrada do jovem a vida adulta, dialogo esse que acontece as 11 horas, (e termina em torno das 12), onde o pai, recomenda ao filho que este, se torne um medalhão, sendo assim uma pessoa que adquira fama e fortuna.

 Os conselhos do pai, para tornar o filho um medalhão, giram em torno de evitar que o próprio tenha raciocínios próprios, em caso o de submeter-se ao pensamento, onde o filho deve sempre se submeter ao pensamento neutro, com baixo conhecimento e limitação em seu vocabulário, jamais utilizar da ironia, afinal é algo que requer muito raciocínio, e que de certa forma mostra uma figura de um pai que falhou em seu desejo de ganancia pessoal e impõe este mesmo desejo ao filho, que no decorrer do livro age apenas, de forma passiva.


 Em si, uma leitura rápida (de conto mesmo, são apenas 16 páginas curtas rsrsrs mas como disse não deixa o livro fácil de se entender), e de inestimável valor, mostra no geral, a forma que vemos os títulos, onde o raciocínio não se torna algo primário, e como um título ou a fortuna e fama, são mais valorizados pela sociedade do que o conhecimento no geral, onde em si, se chega à conclusão que um quadro na parede pode se ter um valor maior o qual está dentro da pessoa em si, um conto que nos faz refletir muito sobre esse nosso estilo de vida, o quão valorizamos coisas que no geral não deveriam ter tanto valor assim. 

[ENTREVISTANDO O AUTOR] - Jana Meilman

Hey hey pessoal!


Hoje eu trouxe a primeira entrevista em vídeo do blog, então se você prefere assistir ao invés de ler, já pode comemorar (uhhuuu). Mas se você gosta mesmo da leitura, vou deixar todas as perguntas e respostas aqui. <3

A Jana é parceira do blog desde o começo do ano e como nenhuma grande editora quis publicar sua obra ela decidiu abrir sua editora, não podíamos deixar de fazer osso papel e apoia-la, não é mesmo? Então, se você curtiu a entrevista, sinta-se convidado a ler a resenha (link no final da entrevista) e conhecer o site a editora!


Para a entrevista, fiz a transcrição completa do vídeo enviado pela autora, então aqui ele vai parecer quase como uma carta ao leitor. Espero que aproveitem.

[Jana]
Hey pessoal do Fonte Literária, tudo bem?
Aqui quem fala é a Jana Meilman, autora do livro “Do que são feitas as estrelas?”, e eu vim falar para vocês um pouquinho do processo de criação do livro e um pouco sobre mim, eu sou de Teresópolis, cidade serrana do Rio, e Do que são feitas as estrelas? é o meu primeiro livro.
Ele veio de um processo muito interessante na minha vida que, basicamente, espelha na história da Malu, personagem principal do livro por que desde o primeiro capítulo até o último na vida da Malu, você vai ver que tudo de ruim que aconteceu com ela, de certa forma trouxe algo de bom.
E essa é a mensagem que eu queria passar no livro, tudo isso começou na minha vida. Eu tenho crises de pânico, sofro de transtorno pós-traumático, e as vezes eu sofro algumas crises de ansiedade, de pânico e foi numa dessas crises que eu tive a ideia do livro. Foi uma forma que o meu cérebro encontrou de me tirar daquela situação que eu estava e foi quando Malu, Sofia e Lauren, que são as personagens principais do livro, surgiram na minha mente.
As pessoas me perguntam: “ Você não tem problema em falar sobre isso, Jana?” e a resposta é NÃO, porque, na verdade, eu acho que quando a gente compartilha as nossas fraquezas, elas se tornam nossas forças, as nossas fortalezas. E a Malu é exemplo disso.
Então foi assim que surgiu a ideia, no meio dessa crise, a história apareceu na minha imaginação, a crise passou e a história ficou, e ela não ia embora então eu disse para mim que eu deveria escrever para ver se a história sai da minha cabeça. Cheguei a perguntar para mim: “Será que eu estou ficando louca?”. E foi muito interessante pois, a partir do momento em que eu sentei na frente ao computador e comecei a escrever, logo na primeira frase eu já sabia a última frase do livro, a história veio por completo e foi lindo.
Eu sou muito grata pela vida ter me escolhido para contar Do que são feitas as estrelas?. O livro faz uma analogia sobre as dificuldades que a gente enfrenta na vida com o nascimento e a permanência das estrelas no céu, se você parar para pensar, a gente só contempla as estrelas quando escurece, não é? E na vida, muitas vezes, é assim que acontece, foi assim que aconteceu na vida da Malu. No momento de maior escuridão na vida dela, ela descobriu Do que são feitas as estrelas.
Eu sou casada com um Físico, e é claro que isso me ajudou muito na hora de compreender do que são feitas as estrelas e depois eu fiz a analogia, mas de uma forma mais poética. Peguei aquilo que é de exatas e transformei em humanas [risos], ficou uma história muito bonita e eu sou realmente grata por ter tido essa resposta da vida.
Eu achei interessante quando o pessoal do Fonte Literária disse que teve dificuldade em classificar o livro, e eu também tenho porque o livro fala sobre amizade, uma amizade muito linda, muito forte, que é a estrutura, a base, para que Malu consiga realizar o sonho dela. Tem romance, e é um romance lindo, tem humor pois, graças a Deus eu tenho senso de humor e consegui colocar isso no livro também, então ele tem de tudo um pouco.
E, mais do que entretenimento, eu queria que o livro passassem uma mensagem e foi muito bacana quando eu comecei a mostrar a história para algumas pessoas e elas começaram a me responder. Eu respondo mensagens de madrugada: “Jana, que história linda, obrigado por ter escrito.” e é ai que eu vejo que valeu apena, pois a história da Malu também tem drama, mas esse drama  é um grande aprendizado.
A história ficou muito linda, eu sei que sou suspeita para falar, mas eu é uma história de superação dentro de uma ficção muito bacana de uma menina que sonhava em se tornar essa estrela, foi estudar em Nova Iorque, conheceu duas amigas que fizeram toda diferença na vida dela, ela teve uma grande paixão, então basicamente é isso.
O livro tem uma singularidade, que é a música (playlist), eu sou apaixonada por música, não vivo sem, e ele tem trilha sonora. Então, por exemplo, tem uma passagem no livro que diz que a Malu estava numa festa com a Lauren, se esbanjando na pista de dança ao som da música eletrônica, e o leitor pode clicar no ícone, acessando um link, e ouvir exatamente a música que elas estavam dançando, de forma que o leitor é transportado para aquele ambiente.  
Isso é muito bacana pois em alguns outros capítulos a música compõe a história. Foi legal quando eu mandei um e-mail para o pessoal do Spotify perguntando se havia alguma autorização, sobre direitos autorais e tudo, eles me deram uma resposta super bacana dizendo: “Uau, que legal! Nunca um escritor fez isso, inserir a playlist no livro dessa forma.”. E ele me deram um ânimo enquanto eu estava escrevendo o livro.
É isso pessoal, espero que vocês gostem de Do que são feitas as Estrelas, ele está em formato e-book (mas agora tem a opção física e tá num preço SUPER BACANA),e eu estou trabalhando num novo livro, não sei se farei a continuação deste.
Como diz a Malu: “ As vezes é preciso passar por um grande colapso para a gente descobrir o que realmente importa na vida.”


“Um livro que fala sobre amizades, superação e sonhos.”